500 ANOS DA REFORMA MANIFESTA O DESEJO DE UM FUTURO COM DIVERSIDADE RECONCILIADA. ENTREVISTA ESPECIAL COM O PASTOR LUTERANO WALTER ALTMANN – INSTITUTO HUMANITAS UNISINOS + ADITAL

por Patrícia Fachin

Diferentemente do que ocorreu nos últimos quatro centenários da Reforma Protestante, em que “o protestantismo se afirmava contra a Igreja Católica, e esta denunciava as ‘heresias’ da Reforma”, neste ano, em que se caminha para os 500 anos da Reforma, “pela primeira vez, a comemoração ocorre num clima de empenho pela unidade e em espírito ecumênico”, diz Walter Altmann à IHU On-Line.

O culto ecumênico que será realizado hoje, 31 de outubro de 2016, pelo bispo luterano palestino Munib Younan, o  pastor chileno Martin Junge, e o papa Francisco, na “antiga catedral medieval católica que passou a ser catedral luterana no século XVI”, em Lund, na Suécia, “é um gesto de grande significado simbólico, que poderá ser muito reforçado ainda com as palavras que estará proferindo”, afirma o pastor luterano.

Na avaliação de Altmann, o “sentido” desse ato que marca a abertura das comemorações do quinto centenário da Reforma, pode ser entendido em duas perspectivas. “Há um sentimento de gratidão pelo legado teológico de Lutero, afirmando a preponderância da graça de Deus, o acolhimento desta através da fé e o compromisso em favor da prática do amor ao próximo, da justiça e da paz. Mas há também um sentido autocrítico para com as limitações, falhas e deturpações que ocorreram em Lutero e, sobretudo, na história das igrejas após o período da Reforma. O papa Francisco tem dado demonstrações de que encara a história, também a da Igreja Católica, da mesma forma. Portanto, a Reforma deve ser comemorada em espírito de gratidão pelo legado evangélico, penitência pelos pecados cometidos e reafirmação do compromisso evangélico”, afirma.

VEJA TODA A ENTREVISTA : http://www.ihu.unisinos.br/561784-500-anos-da-reforma-manifesta-o-desejo-de-um-futuro-de-diversidade-reconciliada-entrevista-especial-com-walter-altmann

Anúncios