Esta era uma frase de que o Gaúcho gostava muito, Vejam esta parábola (do livro Ao Sabor da Vida…

O ANDARILHO DE DEUS E A BÍBLIA

Numa cidade do interior, havia um velho andarilho que vivia praticamente na rua. Todos o conheciam. Uns o consideravam louco, outros julgavam que ele fosse um dependente de bebida alcoólica, porque às vezes tomava uma dose de pinga. Outros ainda o tinham como safado. Não sei por que, mas era chamado de Gaúcho.

Na verdade, quando moço estudou num Seminário que formava os futuros padres, mas, não se sabe por que, acabou desistindo. Quase todos os dias faz sua visita de oração a uma gruta de Nossa Senhora, situada ao lado da igreja. A cada edição do jornal da paróquia, o padre entregava um exemplar para ele que, sentado nos degraus da igreja, lia-o de cabo a rabo. Muitos o rejeitam por andar acompanhado de alguns cachorros, por vestir roupas velhas e descuidadas, por sua barba comprida e meio desleixada e por falar algumas verdades que incomodam. Ficou na história aquela via-sacra numa noite de quaresma, na década de oitenta, quando Gaúcho em voz alta, no meio do povo e diante da 11ª. estação, disse:

– Não foram os judeus que te crucificaram, Jesus, foram os políticos do partido deste governo que está aí!

Certo dia, o padre sentou-se ao seu lado, no degrau da escada, e perguntou-lhe:

– Já leu todo o jornal, Gaúcho?

– Sim – respondeu ele. Aqui leio o jornal e em casa eu leio a Bíblia. Já li a Bíblia de fio a pavio.

Disse-lhe o padre:

– Ah, lê a Bíblia? Muito bem! E… você consegue compreender e interpretar todos os textos bíblicos?

Gaúcho replicou:

– Não digo que entendo tudo. Gosto de tudo da Bíblia: as histórias, os salmos, os milagres e ensinamentos de Jesus, o xingamento dele contra os grandes e os doutores… Afinal, como o padre sempre fala, é a palavra de Deus. Mas tem uns trechos e umas frases que eu nunca vou esquecer. Elas são uma arma que eu carrego na memória.

Intrigado e curioso ao mesmo tempo, o padre arriscou perguntar:

– Quais, por exemplo?

– Aquela que Jesus falou assim: Onde estiver o cadáver, aí se reunirão os urubus.

– Por que você gosta desta frase de Jesus? – perguntou o padre.

– Imagina só. É como desgraça, quase nunca vem sozinha. É só alguém querer roubar que já aparece outros pra ajudar no roubo. É só alguém desprezar um pobre na rua que outros logo se juntam pra debochar também…

O padre ficou sorrindo, enquanto pensava consigo mesmo: Este cara não tem nada de louco. Loucos são os que não o respeitam… E resolveu continuar:

– Que outra frase da Bíblia você considera como uma arma?

– Aquela que Jesus diz que não veio trazer a paz, mas fogo sobre a terra, veio trazer a espada e a divisão – respondeu Gaúcho.

– Mas por que você acha que é uma arma? – perguntou o padre.

Gaúcho desfolhou sua sabedoria:

– Deus quer gente quente. Chega de morno e de frio! Quer cristão que esquenta o coração e a vida prática pra fazer o bem e viver a justiça.  A palavra de Jesus divide as pessoas, como uma espada: uns ficam do lado dele e outros ficam contra. Deus não mistura água e óleo, nem trigo e joio. Podem estar junto ou bem próximo. Mas Deus sempre distingue os bons dos maus. Pra ele não é tudo a mesma coisa.

O padre foi finalizando:

– Muito bem, Gaúcho. Fica com Deus. Eu vou indo, porque logo vou ter uma reunião. Ciao.

– “Peraí”, padre, deixa te dizer. Outra frase que eu gosto muito é aquela que ele fala pros líderes da religião: As prostitutas e os publicanos vão entrar no Reino de Deus antes que vocês… – disse o andarilho. Ainda bem que você é diferente. Você tirou tempo até pra conversar comigo!

O abraço foi rápido, mas o padre entrou na secretaria paroquial pensando:

– Se eles se calarem, as pedras gritarão!

 

Anúncios