VIVER BEM O ADVENTO, SE QUISERMOS TER UM FELIZ NATAL

Preparando o Natal

O ditado popular diz que “o melhor da festa é esperar por ela”. Porém, além de esperar, é preciso entrar no clima, vivenciar, fazer acontecer aquilo que dá sentido a essa festa.

De cara, é bom que se diga, do ponto de vista cristão, a ênfase no papai noel mais atrapalha do que ajuda. Seria melhor pensarmos e agirmos assim: mais Jesus e menos papai noel! Mais presença e menos presentes!

Advento: tempo de renascer em nós o que há de mais humano

A espiritualidade do advento nos impulsiona a vivermos a vida numa atitude de atenção e vigilância, preparando a alegre chegada de Jesus que veio há dois mil anos; que sempre vem de novo a nós e em nossa história; e que virá uma segunda vez de forma definitiva. Se bem preparada a chegada, daremos a ele uma amorosa acolhida.

Como nosso mundo está contaminado por tantas práticas e fatos que não condizem com a presença de Jesus nem com seu projeto, é bom aguçarmos nossa sensibilidade para discernir e captar os sinais de Deus na história e na vida pessoal. Perceber o que é presença de seu projeto e de sua vida, e o que é rejeição de sua pessoa e negação da sua proposta do Reino no hoje da nossa história.

Para isso, nada melhor do que cultivar a humildade e dar passos rumo a uma profunda conversão, seja na vida pessoal seja no engajamento social e comunitário, seja na vida eclesial, seja diante do cosmo e do planeta. Há muito a ser convertido para haver verdadeiras relações fraternas, baseadas no cuidado e no amor.

Advento é tempo de esperança, da qual, como cristãos, somos chamados a ser sempre testemunhas. Como Deus entrou em nossa história, sobretudo por Jesus, superemos todo desencantamento e pessimismo. E arregaçar as mangas, mãos à obra! Engajemo-nos solidariamente pela transformação do mundo. Temos muito a FAZER, e muito mais a SER e a TESTEMUNHAR, perto e longe de nós. Podemos ajudar muita gente a ser mais livre e feliz, com mais igualdade, tolerância e convivência de paz.

Vamos contribuir para uma grande reconciliação de todos os povos e culturas! Na expectativa e espera vigilante do Natal, vamos ao encontro de tantos irmãos e irmãs, que estão debaixo de lonas, nos asilos e casas de acolhida, nos lares de idosos e hospitais, e os que estão na solidão, no abandono, no esquecimento, mesmo próximos dos seus…

O Natal será Santo e Feliz, somente se na vida eclesial, pessoal, familiar e social fizermos acontecer um pouco ou muito daquilo que Jesus veio viver e realizar. Senão, fingimos que acolhemos Jesus, quase nos babamos de tanto falar em papai noel, enchemos mesas de comidas e presentes, entupimos celulares e computadores de mensagens, mas sem encontro com Jesus, não será Natal de verdade. Pode ser um carnaval disfarçado ou uma idolatria com ares de religiosidade.

Anúncios