(publicado no IHU, 02.03.17, por Fernando Altemeyer Junior)

As viagens e os documentos
Fez doze viagens em território italiano: Lampedusa em 08/07/2013; Cagliari em 22/09/2013; Assis em 04/10/2013; Campobasso e Isernia em 05/07/2014; Caserta em 26/07/2014; Cassiano all´Ionio em 21/06/2014, Redipuglia em 13/09/2014, Prato e Firenze em 10/11/2015, Turim, 21 e 22/06/2015, Pompeia e Nápoles em 21/03/2015, e novamente duas vezes em Assis em 04/08/2016 e 20/09/2016.

As 17 viagens internacionais conduziram ao papa a tocar 24 países: Brasil (22 a 29/07/2013), Jerusalém (24 a 26/05/2014), Coreia do Sul (13 a 18/08/2014), Albânia (21/09/2014), França (Estrasburgo, Parlamento Europeu, em 25/11/2014), Turquia (28 a 30/11/2014), Sri Lanka e Filipinas (12 a 19/01/2015), Bósnia-Herzegovina (Sarajevo em 06/06/2015), Equador, Bolívia e Paraguai (05 a 13/07/2015), Cuba e Estados Unidos e sede da ONU (19 a 28/09/2015), Quênia, Uganda e República Centro Africana (25 a 30/11/2015), México (12 a 18/02/2016), Lesbos, na Grécia em 16/04/2016, Armênia em 24-26/06/2016, Polônia, durante a JMJ de 27 a 31/07/2016, Geórgia e Azerbaijão de 30/09 a 2/10/2016 e Suécia de 31/10 a 01/11/2016. Viagem marcada para Portugal em 2017. Há expectativa de que venha para Colômbia, Argentina, Chile, Brasil e Uruguai. Poderemos ser surpreendidos por visitas surpresas a Moscou, na Rússia e Beijing, no coração da China!

Francisco até o momento já pronunciou 787 discursos, 215 homilias, escreveu duas exortações pós-sinodais: Evangelium Gaudium (A Alegria do Evangelho) publicada em 24/11/2013 e Amoris Laetitia (A alegria do amor) lançada em 08/04/2016; assinou 16 constituições apostólicas, 99 cartas, 38 cartas apostólicas, 18 motu próprios, acolheu milhares de peregrinos em 168 audiências gerais, e presidiu 367 celebrações na Casa Santa Marta, no Vaticano. Realizou com a Igreja universal o Ano da Misericórdia em 2016. Escreveu duas encíclicas: Lumen Fidei, de 29/06/2013, e a Laudato Si’, publicada em 18/06/2015.

Algumas medidas internas: limitar o número de títulos honoríficos na instituição católica; criar de uma nova comissão de controle do Instituto para as Obras de Religião (IOR); além de nomear 44 cardeais eleitores. Convocou para outubro de 2018 a XV Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos com o tema: Juventude – os jovens, a fé e o discernimento vocacional.

Os passos já dados na Reforma são 18 bem concretos:

1) Em 13 de abril de 2013, anúncio do Conselho de Cardeais (Consilium Cardinalium Summo Pontifici), hoje conhecido como C9.

2) Em 24 de junho de 2013, foi erigida a Pontifícia Comissão referencial para o Instituto para as Obras de Religião-IOR.

3) Motu Proprio de 11 de julho de 2013, delineou a jurisdição dos órgãos judiciais do Estado da Cidade do Vaticano em matéria penal.

4) Em 18 de julho de 2013, constituída a C.O.S.E.A. (Pontifícia Comissão Referencial de Estudo e Guia para os Assuntos Econômicos e Administrativos),

5) Motu Proprio de 8 de agosto de 2013, constitui o Comitê de Segurança Financeira da Santa Sé.

6) Motu Proprio de 15 de novembro de 2013, consolidada a Autoridade de Informação Financeira (A.I.F.),

7) Motu Proprio de 24 de fevereiro de 2014 (Fidelis Dispensator et Prudens), erigidos Secretaria para a Economia e Conselho para a Economia,

8) Motu Proprio (Fidelis Dispensator et Prudens), de 24 de fevereiro de 2014, erigida o Escritório de Revisor General (U.R.G.), como novo ente da Santa Sede encarregado de cumprir a revisão (audit) dos Dicastérios da Cúria Romana, das instituições relacionadas com a Santa Sede e as administrações do Governo do Estado da Cidade do Vaticano,

9) Em 22 de março de 2014, instituída a Comissão Pontifícia para a Proteção dos Menores,

10) Motu Proprio de 8 de julho de 2014, transfere a Seção Ordinária da Administração do Patrimônio da Sé Apostólica para a Secretaria para a Economia.

11) Em 22 de fevereiro de 2015 foram aprovados os Estatutos dos novos Organismos Econômicos.

12) Motu Proprio de 27 de junho de 2015, erigida a Secretaria para a Comunicação.

13) Dois Motu Proprios em 15 de agosto de 2015, que proveem a reforma do processo canônico para as causas de nulidade do matrimonio: Mitis et misericors Iesus, no Código Canônico das Igrejas Orientais; e Mitis Iudex Dominus Iesus, no Código de Direito Canônico da Igreja Latina.

14) Motu Proprio de 04 de junho de 2016 (Como uma mãe amorosa), para prevenir a negligencia de bispos no exercício de seu oficio, especialmente no relacionado aos casos de abusos sexuais cometidos contra menores e adultos vulneráveis.

15) Motu Proprio de 04 de julho de 2016 (Sobre os bens temporais), segue como principio de máxima importância que os organismos de vigilância estejam separados dos que são vigiados, e para isso foram delineados melhor os campos respectivos de competência da Secretaria para a Economia e a Administração do Patrimônio da Sé Apostólica.

16) Motu Proprio de 15 de agosto de 2016 (Sedula Mater), constituiu o Dicastério para os leigos, a família e a vida,

17) Motu Proprio de 17 de agosto de 2016 (Humanam progressionem), constituiu o Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral.

17) Em 18 de outubro de 2016, aprovação do Estatuto da Pontifícia Academia para a Vida.

A Igreja em reforma do papa Francisco nos pede que rezemos pelo ministério do bispo de Roma frente àqueles que o perseguem e são contra qualquer mudança e atualização da Igreja na fidelidade ao Cristo que chama e converte. Sejamos sujeitos da imensa missão batismal que é tarefa de todos e todas. Animados por Francisco possamos cantar a melodia de Luiz Augusto Passos: “Canta Francisco, com a voz dos pobres, Tudo que atreveste a mudar/ Canta novo sonho, sonho de esperança/ Que a liberdade vai chegar/ Canta Francisco, com a voz dos pobres/ Tudo o que atreveste a mudar/ Canta novo sonho, sonho de menino/ Novo céu e terra vai chegar”.

 

 

Anúncios