IRMÃO FRANCISCO

“O vento sopra onde quer, você ouve o barulho,

mas não sabe de onde vem, nem para onde vai.

Acontece a mesma coisa com quem nasceu do Espírito” (Jo 3,8).

Sopra o Espírito onde quer…

Fora da Cúria Romana,

No Sul do Planeta,

Na periferia do mundo…

Sopra fora dos favoritíssimos

Cardeais candidatíssimos

Da Globo e mídia mundial.

Seu leve sussurro

Desmonta ondas e barulhos

Dos inéditos e fantásticos

Esquemas midiáticos.

O sopro vai até o fundo e inusitado

Do fim-de-mundo e do latino,

Da contramão e do inesperado.

É o Espírito que tem a chave,

Mais que o sucessor de Pedro.

Ele torna carne o coração de pedra,

Faz abertura mesmo em conclave.

O Espírito sopra como quer…

Dispensa pomba e pompa,

Com sua aragem.

Rompe banco e seus truques

De lavagem e celeuma.

Nova vida está

Na “ruah” e “pneuma”.

Como a brisa leve da aurora

Aponta que é chegada a hora

De novo tempo, nova era.

Para a Igreja e para o mundo

Uma nova primavera.

Sopra o Espírito para Francisco

Fazer submergir luxo e riqueza,

Trazer à tona simplicidade e pobreza.

Amor aos pobres, espiritualidade.

Menos esquema e rubricas,

Menos inquisições e futricas.

Mais vida fraterna

De poverello e terna.

Sopra de Assis o espírito renovador

Para todo o orbe e povo de Deus:

Mais Evangelho e oração,

Mais fé, diálogo e abertura,

Mais testemunho e ação,

Mais humildade e ousadia…

Na insignificância de irmãos,

No serviço e perdão,

A perfeita alegria.

Que brilhe a coerência e bravura

De canonizar Romero e outros mártires

Assassinados pelas ditaduras!

Que os dogmas e catecismos

Não inibam a renovação

Do rebanho do aprisco!

Que as cúrias e cardeais

Não abafem o sopro do Espírito

Que dá vida a Francisco!

 

(Ivo, 15/03/2013)

 

 

 

Anúncios