VIGÍLIA PASCAL: COM O RESSUSCITADO A VIDA VENCE A MORTE (15/04) – UMA REFLEXÃO SOBRE O EVANGELHO de Mt 28,1-10

Para nós cristãos, cada celebração é uma atualização do mistério pascal de Cristo, não somente memória do passado… Nesta vigília celebramos e festejamos na alegria litúrgica Jesus ressuscitado, vivendo em nós, no meio de nós e na história do nosso povo. Vivemos da sua força e da nova vida que ele nos concede. Quem entende a profundidade dessa vitória sobre a morte, o pecado e as trevas, entende e vive a vida de modo diferente, com novo sentido, com outra motivação e direção, com um novo poder… Outra vez nos apoiamos nas reflexões de Pagola para apresentar esta breve mensagem. (O Caminho aberto por Jesus – Mateus, p.335-341)

A última palavra é a da vida

“Não é a morte que tem a última palavra, mas Deus. Há tanta morte injusta, tanta enfermidade dolorosa, tanta vida sem sentido, que poderíamos submergir no desespero. A ressurreição de Jesus nos lembra que Deus existe e salva. Ele nos fará conhecer a vida plena que aqui não conhecemos.” Gente, Jesus ressuscitou! Vamos erguer a cabeça e viver a vida com mais esperança, com mais paixão por Jesus e seu projeto, com mais compaixão pelos que sofrem! Mesmo que seja difícil ter a experiência de um encontro verdadeiro com Deus, sabemos que somos sustentados e dirigidos por Ele para uma plenitude final. “Há tantas frustrações em nossa vida, às vezes nos amamos tão pouco, nos depreciamos tanto que afogamos em nós a alegria de viver”, diz Pagola, e acrescenta: “Celebrar a ressurreição de Jesus é abrir-nos à energia vivificadora de Deus. O verdadeiro inimigo da vida não é o sofrimento, mas a tristeza. Falta-nos paixão pela vida e compaixão pelos que sofrem. E sobra-nos apatia e hedonismo que nos fazem viver sem desfrutar do melhor da vida: o amor. A ressurreição pode ser fonte e estímulo de vida nova”.

O que significa crer no Ressuscitado?

É crer que Cristo está vivo, “impulsionando a vida para seu destino último e libertando a humanidade” das garras da morte.

É crer que Jesus está presente no meio de nós e dos que creem. Por isso, vale a pena participar dos encontros e iniciativas da comunidade cristã.

É sentir que nossa oração a Jesus é um diálogo com Alguém que está vivo, e está nas raízes e profundezas da nossa vida.

É deixar-nos questionar por sua palavra viva, anunciada nos evangelhos, alimentando com ela nosso espírito e vida.

“É viver a experiência pessoal de que Jesus tem força para mudar nossa vida, ressuscitar o bom que há em nós e ir nos libertando do que mata nossa liberdade.”

“É saber descobri-lo vivo no último e mais pequeno dos irmãos, convidando-nos à compaixão e à solidariedade.”

É crer que nele já se inicia também a nossa ressurreição, por isso a vida eterna já começa aqui e agora.

É crer que nem o sofrimento, nem a injustiça do governo, nem a demolição dos nossos direitos, nem outros pecados e nem a morte têm a palavra final. “Só o Ressuscitado é Senhor da vida e da morte.”

 

Crer no Ressuscitado para quê?

Quando cremos verdadeiramente nele, sentimos uma grande confiança em nossa existência: “Não estamos sós. Não caminhamos perdidos e sem meta”. Somos aceitos e amados por Deus. Por isso sentimos a paz e a confiança.

Crendo no Ressuscitado, “podemos viver com liberdade, sem deixar-nos escravizar pelo desejo de posse e de prazer. Não precisamos devorar o tempo, como se já não houvesse nada mais. Não há motivo para agarrar tudo e viver “espremendo” a vida antes que ela acabe. Pode-se viver de maneira mais sensata. A Vida é muito mais do que esta vida”.

Quando cremos no Ressuscitado, “podemos viver com generosidade, comprometendo-nos a fundo em favor dos outros. Viver amando com desinteresse não é perder a vida, é ganhá-la para sempre. Desde a ressurreição de Cristo, sabemos que o amor é mais forte do que a morte”.

“Quem crê não morre na escuridão, no vazio, no nada. Com fé humilde entrega-se ao mistério da morte, confiando-se ao amor insondável de Deus.”

Jesus Ressuscitado apareceu às mulheres e disse-lhes: “Não tenhais medo! Ide dizer aos meus irmãos que se dirijam à Galileia e lá me verão”. Galileia aqui representa a periferia, o lugar próprio da missão. É aí na missão, no meio dos sofredores, que se vê Jesus e se faz a experiência do encontro com o Ressuscitado.

Os seguidores de Jesus têm fé na Ressurreição dele e de nós todos. Por isso, defendem a vida em primeiro lugar, não aceitam as trapaças e manobras nem para eliminar direitos do povo, nem para favorecer os privilegiados. A vida dos “menores de meus irmãos” não pode jamais sucumbir pelos mecanismos das forças do mal. Também hoje, A VIDA TEM QUE VENCER A MORTE !

Anúncios