UMA REFLEXÃO SOBRE O EVANGELHO DO 6º. DOMINGO DA PÁSCOA – dia 21/05 – Jo 14,15-21

Em clima de despedida, com muita ternura Jesus dá força aos discípulos que temem pela situação de ficar sem Ele. Mostra que poderão viver unidos a ele, também após sua partida. Revela que terão o Espírito da verdade, o Defensor. Assim, estando com Jesus, jamais se sentem abandonados nem órfãos.

  1. “Não vos deixarei órfãos… Eu pedirei ao Pai, e Ele vos dará outro Defensor que estará convosco sempre. Ele é o Espírito da verdade que o mundo não pode receber porque não o vê nem o conhece. Vós o conheceis porque permanece convosco e esta em vós.”

Quem está bem unido a Jesus, com uma viva experiência dele, sentindo=o e acolhendo-o em sua vida, não se sente órfão. A comunhão com Jesus deu aos apóstolos uma nova presença que os faz viver: o Espírito de Jesus, o Espírito Santo de Deus. Isto vale para nós hoje: precisamos lembrar e sentir Jesus perto de nós, e com seu espírito trabalhar por um mundo mais humano e por comunidades mais seguidoras de Jesus.

Temos o “Espírito Defensor”. Ele nos dá coragem e orientação, nos defende daquilo que nos pode separar de Jesus. Ele nos recorda a palavra de Jesus, e nos livra do que nos afasta da verdade. Estamos num contexto de sociedade em que as informações são manipuladas, as notícias torcidas, verdades gritantes são omitidas, erros de grupos da elite são camuflados e reportagens propagam meias-verdades, que muitas vezes são as piores mentiras. De outro lado, as pessoas querem a “sua verdade”: seu bem-estar, seu ganho, sua vantagem, sua folga, seu dinheiro e compras de coisas bonitas.  Ao mesmo tempo, não querem saber da realidade do povo nem do verdadeiro rumo do país. Se não estamos vigilantes, também nos contentamos com a meia-verdade de saber um pouquinho só de Jesus e não a verdade do Evangelho; não queremos refletir sobre as exigências e alegria de seguir a Jesus; e ficamos satisfeitos com alguma doutrina na cabeça e quase nada de prática de amor e justiça.

Só o Espírito da verdade nos põe em luta para vencermos as mentiras e manipulações a falsa comunicação do nosso mundo.

  1. “Se me amais, guardareis meus mandamentos… Quem recebe os meus mandamentos e os observa, esse é que me ama. Quem me ama será amado por meu Pai. Eu também o amarei e me revelarei a ele.”

Acolhendo e amando a Jesus, somos impulsionados pelo seu Espírito da verdade, nosso Defensor.  O Espírito nos anima  viver como Jesus. Ele não se deica enganar pelo poder nem pelo consumo; “não se deixa seduzir pela liturgia do Templo nem pela ortodoxia da religião judaica. Ele busca a verdade de Deus. Só crê nessa verdade, a única que pode humanizar-nos” (Pagola. O Caminho Aberto por Jesus – João, p. 200). Estar conectados ao Espírito pode “abrir nosso coração ao encontro pessoal com Jesus como alguém vivo. Só esta relação afetiva e cordial com Jesus cristo é capaz de transformar-nos e gerar em nós uma maneira nova de ser e de viver” (p. 201). É com a força do Espírito que podemos, como nos pede Jesus, ficar unidos a Ele e observarmos os seus mandamentos, porque, então, nós o amamos.

Pra concluir, meditemos ainda com o ensinamento de Pagola: “Esta vida nova no Espírito não significa unicamente vida interior de piedade e oração. A verdade de Deus gera em nós um novo modo de vida, oposto ao modo de vida eu brota da mentir e do egoísmo. Vivemos numa sociedade onde a mentira se chama diplomacia; a exploração, negócio; a irresponsabilidade, tolerância; a injustiça, ordem estabelecida; o sexo, amor; a arbitrariedade, liberdade; a falta de respeito, sinceridade. Esta sociedade dificilmente pode entender ou aceitar uma vida cunhada pelo Espírito. Mas é este Espírito que defende o crente e o faz caminhar para a verdade, libertando-o da mentira social, da farsa e da intolerância de nossos egoísmos”. (idem, p. 202-203).

Anúncios