Coalizão internacional de 145 igrejas pede “Diretas Já” no Brasil

Entidade lançou carta em repúdio a retrocessos; religiosos pedem saída de Temer e revogação de leis contra trabalhadores

(Norma Odara = Brasil de Fato | São Paulo (SP) = 07 de Junho de 2017 às 18:40)

( Manifestação Fora Temer e pelas Diretas Já no Museu da República -Brasília-Lula Marques – AGPT)

A Aliança ACT, uma coalizão internacional composta por 145 igrejas, lançou uma carta em repúdio aos retrocessos no Brasil, pedindo a saída do presidente golpista, Michel Temer (PMDB), do poder e a convocação de eleições diretas.

O Conselho Diretivo da Aliança ACT Global se reuniu nos dias 1 e 2 de junho, em Genebra, e expressou “profunda preocupação com a crise política brasileira”. Para os religiosos, “a situação no Brasil exige cuidadosa atenção, compromisso e solidariedade permanentes”.

No texto, eles ressaltam ainda que “com a escalada da violência, diminuem os espaços de participação democrática, sendo que as populações de baixa renda e marginalizadas são as mais afetadas” e pedem a revogação das reformas constitucionais, como o congelamento de investimentos sociais por vinte anos, a terceirização total da mão-de-obra, a reforma trabalhista, que extingue a mediação dos sindicatos e vulnerabiliza os trabalhadores, bem como o fim da reforma da Previdência.

O Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC), que compõe a coalizão, expressou o compromisso de se empenhar “contra todos e todas as parlamentares eleitos em nome da fé, que compuseram a base do governo ilegítimo de Temer e que cometeram tantas atrocidades contra o povo”.

Leia a íntegra da carta:

Em seu encontro nos dias 1 e 2 de junho de 2017, realizado em Genebra, na Suíça, o Conselho Diretivo da Aliança ACT Global expressou a sua profunda preocupação com a atual crise política brasileira, caracterizada por violência e agressão contra as pessoas em situação de maior vulnerabilidade do país.

Desde que a crise política se instalou, a escalada de violência tem aumentado consideravelmente, principalmente em áreas remotas e contra os povos indígenas. Somente neste ano, 35 camponesas/es, indígenas e defensoras/es ambientais e dos direitos humanos foram assassinadas/os no Brasil; uma dolorosa evidência da hostilidade demonstrada contra grupos vulneráveis e pessoas que os defendem.

Embora os pesares políticos e a violência sejam comuns no país, a impunidade e a sua ligação com atividades policiais devem alarmar a toda população brasileira e a comunidade internacional, conforme expresso na recente declaração da ONU.

A situação no Brasil exige a nossa cuidadosa atenção, compromisso e solidariedade permanentes.  Com a escalada da violência, diminuem os espaços de participação democrática, sendo que as populações de baixa renda e marginalizadas são as mais afetadas.

As medidas de austeridade sem precedentes, que levam ao crescimento da desigualdade e das divisões sociais acentuadas, estão contribuindo para uma crise exponencial. Este cenário convoca o movimento ecumênico para a ação. Como afirmado na declaração do FE ACT Brasil (o Fórum ACT no Brasil – leia em http://bit.ly/2sAsWSz), é essencial que provisões sociais do Estado sejam restauradas e que as instituições democráticas sejam revitalizadas e fortalecidas para a garantia da inclusão social, revertendo assim a tendência para uma maior desigualdade. Deve-se buscar a distribuição de renda, a arrecadação justa de impostos para os mais ricos, os processos políticos de transparência e a aplicação justa e imparcial da lei (para aderir à nota, acesse https://goo.gl/QkVdvQ)

Nós reafirmamos o nosso compromisso de caminhar ao lado das pessoas diretamente afetadas pelas decisões injustas que estão sendo tomadas. Nós, representantes do movimento ecumênico mundial, convocamos, portanto, para uma restauração dos princípios e processos democráticos, levando em consideração as vozes das pessoas mais excluídas.

Todos os setores da sociedade estão convocados para assumir responsabilidade e ajudar a revirar a atual onda de intimidação e violência. É tempo para uma reflexão ativa, para levantar vozes proféticas e dar-nos as mãos em solidariedade.

“Que haja tanta justiça como as águas de uma enchente e que a honestidade seja como uma corrente que não para de correr!” (Amós 5:24)

A Aliança ACT é uma coalizão internacional de 145 igrejas e organizações baseadas na fé, que trabalham nas áreas de ajuda humanitária, desenvolvimento e incidência em mais de 100 países. http://actalliance.org/

 

Edição: Vanessa Martina Silva

 

Anúncios