UMA REFLEXÃO SOBRE O EVANGELHO DA SOLENIDADE DA SSMA. TRINDADE – dia 11/06/17: Jo 3,16-18

Para muitos, o batismo não vai além de um rito. Mas, para muitos também, que vivem seu batismo, ele é o início e o sinal de um comprometimento com Deus-comunidade de amor e com o seu projeto, que Jesus chamou de Reinado de Deus. Deus nos deu a graça de o conhecermos e de sermos a Ele consagrados, não “pra número” nem “pra bonito”, mas para vivermos e assumirmos sua missão, com sua força e presença.

  1. “Deus amou tanto o mundo que entregou seu Filho único, para que todo aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna.”

Esta frase resume o fundamento do cristianismo, o núcleo central da nossa fé. Ela nos revela que Deus ama o mundo, com seus problemas, aspectos questionáveis e contradições, mas que pode ter muito de bom e valores, e muito a ser melhorado e transformado. Nós, cristãos evangelizadores, precisamos amar o mundo, a humanidade, a cidade, a cultura moderna; envolver a vida deste mundo com muito amor e, é claro, sem absolutizar nem sacramentar tudo… Jesus é o dom de Deus ao mundo. Que presente Ele nos deu! Quanto mais acolhermos e descobrirmos a riqueza de vida que este dom encerra, mais sentiremos em nós a presença de Deus que nos ama infinitamente. Anunciar e testemunhar ao mundo este amor e este dom, por amor, é a nossa primeira tarefa e missão de cristãos… Deus nos entregou seu Filho para não morrermos, mas termos a vida eterna. A vida, este é o objetivo da vinda de Jesus, e vida que permaneça, vida que dure para sempre, vida de verdade. E este é o mesmo objetivo da Igreja. Tudo o que ela anuncia, vive e realiza deve contribuir para que o mundo e todos e todas tenham vida com dignidade, fartura de vida verdadeira. Só vivendo intensamente o amor entre nós e na comunidade, pondo mais amor nas relações e esquemas da vivência, e nas estruturas sociais, nossa vida será um anúncio e um convite verdadeiro à conversão e ao engajamento no Reino.

  1. Deus enviou seu Filho ao mundo não para condenar o mundo, e sim para que o mundo seja salvo por meio dele. Quem acredita nele, não está condenado; quem não acredita, já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho único de Deus.”

Felizmente, Deus é de todos, ninguém o tem como propriedade sua. Ninguém pode engaiolá-lo nem manipulá-lo em proveito próprio. Nenhuma religião pode monopolizá-lo. Como só sabe amar, Ele quer que todos sejam salvos por meio de seu Filho. Tudo o que Ele criou e nos concede é para nossa realização e salvação. É pena que a forma como as sociedades se estruturam e organizam desvia da alegria, da felicidade e da “vida eterna”. Mas Ele sempre quer salvar, e que ninguém se perca… Deus não condena, Ele ama e salva. “Podemos acolher este Deus e podemos também rejeitá-lo. Ninguém nos força. Somos nós que temos que decidir. Mas ‘a luz já veio ao mundo’.” (Pagola. O Caminho aberto por Jesus – João, p. 66). Quem não acredita no nome e no projeto do Filho, “já está condenado”.

Somos pelo batismo consagrados a Deus Trindade, pertencemos a Ele. Batizados em nome do Pai, vamos viver diante do Pai como filhos, com confiança total no seu ensinamento, e com muita docilidade, atentos à sua vontade, como fez Jesus… Batizados em nome do Filho, vamos viver com o Filho Jesus. Ele está ao nosso lado, entre nós. Estar com Ele e crer nele é segui-lo, ver a vida como Ele vê; amar as pessoas, os necessitados e excluídos, como Ele amou. Fazer da vontade do Pai o alimento diário… Batizados em nome do Espírito Santo, vamos viver animados pelo Espírito! Viver tudo e todas as situações com amor, mesmo as que exigem de nós posturas mais proféticas e posicionamentos mais duros e coerentes pela justiça – há casos em que as denúncias e anúncios proféticos são a melhor forma de amar certas pessoas e de dar testemunho de Jesus. Viver no Espírito, que está dentro de nós, é comprometer-se com o Reino de Jesus. “O amor é a força que põe sentido, verdade e esperança em nossa vida. É o amor que nos salva de tantas inércias, erros e misérias.” (idem p.71).

Tomara que nós, os cristãos, no Brasil de hoje, mostremos nossa consagração a Deus-Trindade, por posturas, práticas e engajamentos coerentes com o Evangelho e com o batismo!

Anúncios